Vinhos franceses, conheça a classificação.

Quais são as categorias dos vinhos franceses?
Muitas vezes nos perguntam quais são os tipos de vinhos franceses e quais as diferenças.
Fora a uva, o solo e o trabalho do produtor, existem classificações de categorias dos vinhos.
Para ajudar vocês a entenderem um pouco mais as etiquetas, compartilhamos um descritivo e esta hierarquia:

Existem duas grandes categorias : IG e VSIG

1. Os Vinhos franceses : VSIG « vin sans indication géographique »

Os vinhos sem idicação geográfica, é a categoria mais generalista. Com um controle e regras mais flexíveis e podendo vir de qualquer lugar do território francês. Aqui se encontram :

a • Vins de table – Vinhos de mesa – Vins de France

Constituem a maior parcela de vinhos da França: 55% da produção total. No entanto, são os vinhos (geralmente, não é regra) de menor qualidade e não podem conter no rótulo o nome de nenhuma região, sub-região ou vinhedo específico, mas apenas a expressão Vin de France.

Os diferentes tipos de vinhos franceses

Vinhos franceses

2 • Os Vinhos franceses : IG « indication géographique »

Nos IG (vinhos com indicação geográfica) estão os :

a • Vins de Pays – Vinhos Regionais

São vinhos de qualidade superior à dos vinhos de mesa, elaborados segundo regras restritas e provenientes de regiões não AOC pequenas, como departamentos ou províncias, distritos, zonas ou comunas, cujos nomes lhe conferem uma denominação específica. Existem cerca de 150 regiões diferentes de vin de pays espalhadas por todo o país, mas a maioria (85%) é proveniente do sul do país, especialmente na costa mediterrânea sul, também conhecida como Midi.

 

vinhos brancos e tintos

b • Vins de Appellation de Origine Contrôlée (AOP)

Vinhos de Denominação de Origem Protegida – São os vinhos (geralmente) de melhor qualidade, provenientes de áreas específicas que podem ser grandes regiões, sub-regiões menores, comunas, cidades e, até mesmo, um único vinhedo. Existem ao todo 357 AOC na França.

etiquetas garrafas vinhos frança

As cores das etiquetas determinam a categoria. Nesta verde , trata-se de um AOP.

Esta classificação no resto do mundo

Para entender melhor a classificação e poder comparar com os outros países, segue a equivalência em ordem crescente de controle :

Na França : VIN DE TABLE (VSIG) – VINS DE  PAYS (IG) – AOP (IG)
Na Itália : VINO DI TAVOLA – IGT – DOC e DOCG
Na Espanha : VINO DE MESA – VINO DE LA TIERRA ou IGP – DO e DOC
Em Portugal : VINHO DE MESA – VR – DOC

Ficou mais fácil?

Os Crus

Você deve estar se perguntando, onde estão os Crus nesta história toda.
Os crus, são classificações específicas à cada região francesa.
A expressão CRU significa uma classificação ainda superior, ligada à noção de qualidade.
O termo CRU, se aplica unicamente aos vinhos AOP(s).

Para nomear os crus, a ordem de qualidade decrescente é :
GRAND CRU (o melhor!The best!) – 1er CRU (nada mal) – 2ème CRU – etc …
Esta seria a lógica ideal, mas como cada região que decide o que e como fazer, tudo ficou diferente.
Vou tentar não prolongar muito no assunto, e citar somente alguns exemplos :

BORDEAUX (classificação de 1855)
Premier Grand Cru classé / Deuxième Grand Cru classé / Troisième Grand Cru classé / Quatrième Grand Cru classé / Cinquième Grand Cru classé
MÉDOC : Cru Bourgeois / Cru Artisan
Saint Emilion : Premier Grand Cru classé  A / Deuxième Grand Cru classé B / Grand Cru classé
BORGONHA : Grand Cru / Premier Cru
ALSÁCIA : Grand Cru
BEAUJOLAIS : Cru

As categorias nem sempre são sinônimo de qualidade

Para obter uma categoria, existe um caderno de regras que o viticultor deve seguir, mais ou menos importante e estricto de acordo com a categoria. Sabendo-se dissso, Um fato importante é que novos produtores, principalmente de vinhos NATURE, estão deixando de lado estas categorias de vinhos franceses e rótulos. Buscando trabalhar de forma independente e segundo seus valores, produzindo uvas que não estariam em uma determinada região (ex : Syrah no Beaujolais) e inovando nos processos.
Por isso, conhecendo as categorias, é importante saber que você pode se surpreender com um vinho do qual não esperava muito, como o contrário, uma categoria não é fator determinante de qualidade.

E lembre-se, no mundo dos vinhos, cada um possui um gosto diferente.

Venha degustar e conhecer tudo isso na prática!
A GIMGourmand aguarda você.

3 Responses
  • Maria Elisabeth Pinheiro
    setembro 3, 2018

    Cada reportagem melhor que a outra. Enriquecedora!

    • Pryscila Musso
      outubro 5, 2018

      Muito obrigada Maria Elisabeth! Ficamos felizes que esteja gostando do conteúdo do blog. É muito bom ter você por aqui.

Deixe seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: